:: Teus pés em meus cabelos ::

Na sequidão do meu deserto,
Ouvi dizer: estás por perto.
Simão, um fariseu, anfitrião,
Te convidou para jantar.

Que alegria a minha ter percebido:
De pecadores, meu Mestre é o melhor amigo
E com eles tem prazer em se relacionar!

O que mais queria? Estar contigo
Deixar pra trás caminhos antigos.
Queria apenas te contar, te mostrar
O quanto mudei
Após ouvir-te falar.

Inquieta, os segundos contei.
Anelante, teu presente preparei:
O mais belo frasco, transparente, lindo
Trazendo dentro em si o mais valioso perfume,
Genuíno.

O perfume era eu; contrição.
O frasco, meu coração – agora teu.
Gratidão.
Queria derramar-me em Ti

Finalmente, chega a hora!
Não sou mais a mesma sem nome de outrora.
Com a melhor roupa me adorno
Sim, nas novas vestes que me deste,
Te adoro.
Tudo que tenho é o agora
Para derramar-me em Ti.

De longe, te observo.
Subitamente, me enlevo;
Ouço a brisa de sua voz a ensinar.
Cautelosa, me aproximo
Silenciosa, me abnego
Esperançosa, aprumo o tino
Ofegante, me entrego.

Olhos fitos me devoram
Consciências me condenam
Julgam-me pelo meu passado
Religiosas mentes, religiosamente,
me violentam.

Não devo nada a ninguém
Só a Ti
Não tenho olhos pra ninguém
Só pra Ti

Adentrei.
Antes que te visse, em tua íris já me tinhas
Quando entrei para te ver, Senhor, tu já me vias
Mesmo quando me perdi, me protegias.
Dos teus olhos sou a menina
Em teu colo, ainda a mesma menina
Pois, mesmo caindo, nunca me deixaste sair
de tuas mãos

Ao te ver,
Não me contive – me derramei:
Um mar de lágrimas inundou meu coração.
Sutilmente, teus pés ungi
Sem parar, os beijei
Como se fosse o primeiro, assim era cada um dos beijos.
Sem cessar, os sequei
Como se ninguém visse, deitei em teus pés os meus cabelos

Ontem, prostituição – fui condenada.
Hoje, restauração – sou consagrada!
Do cabelo fiz toalha
Do meu passado, adoração.

O tempo todo
O perfume era eu.
Queria me derramar – e me derramei
em Ti.
O tempo todo
A essência era tua.
Querias te derramar – e te derramaste
em mim:
Perdão.

Meu nome? Pecadora.
Minha vida? Desperdiçada.
Meu sentimento? Arrependida.
Meu novo nome? Perdoada.

Terno, enfim, tu sopras: ‘a sua fé te salvou!’
Livre, a mim sussurras: ‘vai’ – e eu vou!
Pois teu amor me libertou
Dos outros e de mim,
Pra sempre.


Dois milênios depois, meu real nome ninguém sabe.
Mas o que importa?
No Cristo está minha verdadeira identidade!

(Lucas 7.36-50)

Anúncios

3 comentários sobre “:: Teus pés em meus cabelos ::

  1. Parabéns Fernando, sua sensibilidade com as coisas do Pai se refletem na sua , também, sensibilidade com as palavras….Que o Senhor te use sempre.

    Curtir

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s